ENTREVISTA: SIMPLESMENTE ANA PAULA VALADÃO



Às vésperas do Congresso de Louvor e Adoração do Diante do Trono, a ministra Ana Paula Valadão conta novidades e faz muitas revelações.

A cantora, compositora, pastora e ministra de louvor Ana Paula Valadão Bessa dispensa preâmbulos e apresentações. É um dos nomes mais conhecidos da música brasileira de todos os tempos. Ana já ministrou em aproximadamente 16 países, músicas dos seus 26 CDs gravados, já vendeu aproximadamente 10 milhões de CDs/DVDs, ganhou dezenas de prêmios, realizou projetos com músicos brasileiros e também de outros países e segue se adequando às novas tendências musicais. É uma carreira de causar espanto até mesmo aos não evangélicos, sobretudo, pela simplicidade com que Ana conserva seu caráter. Neste, que é o ano do 15º aniversário do Ministério Diante do Trono e o mês do seu congresso anual, a revista Atos Hoje entrevistou Ana, afinal, mais do que uma “artista do Senhor”, ela representa nossa igreja por todos os cantos onde ministra. Nesta entrevista exclusiva, Ana fala sobre o Congresso de Louvor, o novo CD, os projetos e muito mais.


CONGRESSO DE LOUVOR E ADORAÇÃO


Por que foi escolhido o nome de John Mulinde para ser um dos preletores? O que ele fez de tão extraordinário que chamou sua atenção?

Ana Paula Valadão – Conheci John Mulinde por meio do testemunho que ele deu em um vídeo documentário chamado “Transformação”, que registra mudanças operadas por Deus em muitas nações. Uganda foi transformada pelo poder de Deus e Mulinde foi um dos líderes que Deus usou para unir a Igreja e mudar o país. Depois, tive o privilégio de participar de alguns congressos em Jerusalém em que ele estava pregando. Ele possui uma autoridade espiritual tão grande que é possível ouvi-lo por horas sem se cansar. Sua mensagem é marcante, com conteúdo realmente transformador para quem ouve. Ele tem uma mensagem para transformar vidas e nações. Em 2011 realizamos um congresso para pastores e esposas de pastores na IBL e ele foi o preletor. Oramos a Deus e estamos agradecidos por que novamente o Senhor o enviou para falar à Igreja brasileira.

Cindy Jacobs, Robert Quintana e Walker Beach são os outros preletores do congresso. O que você imagina que cada um deles poderá contribuir para a nossa realidade de adoradores brasileiros, afinal, já somos um país que está exportando música e músicos para todo o mundo?

Ana Paula Valadão – Eu acredito que Deus quer abrir nossos olhos para o que Ele está fazendo ao redor do mundo e não apenas na nossa realidade. Mulinde é africano, Quintana é peruano, e Beach e Jacobs são norte-americanos. Já tivemos um congresso com preletores finlandeses, outro com israelenses e árabes. Deus é quem coloca as pessoas em nosso caminho e vai confirmando quem Ele quer usar como canal de Sua mensagem a cada edição do Congresso. Como responsável pela programação, levo muito a sério a escolha dos palestrantes e só trago pessoas com quem me identifico e recomendo. Neste ano, Asaph Borba, brasileiro, também estará compartilhando um pouco conosco, pois, como você disse, temos muito na nação brasileira para compartilhar. Asaph é um dos adoradores brasileiros que mais viaja mundo afora, “exportando” o que Deus tem feito por aqui.

O congresso terá outras atividades além das palestras para o público em geral e muita adoração? Haverá alguma participação musical além do DT?

Ana Paula Valadão – No Expominas temos apenas um auditório; por isso, todas as atividades serão realizadas para o público reunido ali, sem atividades divididas, paralelas. Separamos o sábado à tarde para Robert Quintana e Walker Beach ministrarem especificamente para pessoas envolvidas no Ministério de Louvor das igrejas. Acredito que muita gente vai aproveitar esse período para visitar Lagoinha e conhecer a cidade. Na sexta feira à tarde, Ana Paula Nóbrega conduzirá a adoração cantando as músicas do seu novo CD, “Nada Temerei”. Asaph Borba também ministrará.

No ano passado, houve certa superlotação na área de alimentação. Para este ano, está sendo tomada alguma providência para que o espaço seja mais amplo?

Ana Paula Valadão – Neste ano, a praça de alimentação terá o dobro de restaurantes – 19 ao todo – oferecendo comidas variadas e diversos tipos de lanches, mais rápidos e práticos.


CD RENOVO


A grande novidade deste congresso será a gravação do CD Renovo. Além de fazer um “remake” das músicas já gravadas pelo DT, que outra novidade ele terá?

Ana Paula Valadão  – O Senhor Jesus disse que o homem experimentado nas coisas do Reino tira do seu tesouro coisas velhas e novas, Mateus 15.32. Nesta época comemorativa de 15 anos do nosso ministério senti o desejo de buscar algumas músicas preciosas dos nossos primeiros anos e as apresentarmos para a nova geração. Elas carregam uma poderosa mensagem, são marcadas pela história do que Deus já realizou por meio delas, e
agora vestirão “novas roupas”. Decidi que os arranjos deveriam refletir o que tocamos hoje, para que possamos ministrar as canções por onde formos e para que as igrejas possam tocá-las também. É como aquela joia antiga que é novamente polida e reutilizada.

Você já pode adiantar os nomes de algumas músicas?

Ana Paula Valadão – “Nos braços do Pai” é uma das minhas preferidas no repertório do Renovo. Na madrugada em que a ouvi não conseguia parar de chorar. Muitas lembranças do que já vivemos com esta canção voltaram à minha mente; e a voz do Senhor sussurrava em meu coração que Ele quer e vai fazer de novo. O arranjo está belíssimo, muito expressivo, e eu chorava, gemia e ouvia repetidas vezes sem querer parar. “Tua Visão” também me surpreendeu, pois era uma música lenta e agora ficou mais rápida. Ela parece um grito de desespero por Deus, para não nos perdermos dele. A cada novo arranjo, as pessoas vão se surpreender e, acredito, irão gostar muito do resultado.

Há mais de dois anos o DT trocou a formação banda e orquestra para somente uma banda. Existe um plano de a orquestra voltar aos concertos do DT?

Ana Paula Valadão – A orquestra permanece na IBL e está crescendo. Tocamos juntos na igreja. Quem sabe, algum dia, gravarei com os metais num projeto específico, com arranjos mais sinfônicos, que também é um sonho.

Você já está pensando em um novo local para a gravação do próximo trabalho? A linha musical será a mesma?

Ana Paula Valadão – Já estamos orando, trabalhando e esperamos divulgar esse local neste congresso mesmo. Vamos continuar na mesma linha musical.

Pr. Gustavo Bessa (Marido), Isaque (filho), Benjamim (filho) e Ana Paula Valadão


ANA PAULA


A Ana Paula mãe e pastora tem projetos que não estão ligados à música e ao DT, e que podem ser divulgados?

Ana Paula Valadão – Meu tempo é dedicado ao cuidado dos meus filhos, especialmente agora que o Isaque entrou na vida escolar mais ativa e com maiores responsabilidades. Também invisto na musicalização deles, acompanhando-os nas aulas na Fábrica de Artes e estando presente o máximo que posso na rotina deles. Não sobra tempo para quase mais nada além deles e do DT. Minha família e o DT são os meus projetos. Acho que toda mulher que é esposa, mãe e trabalha fora irá entender o que digo: às vezes eu queria que o dia tivesse mais horas e que eu pudesse fazer as minhas unhas toda semana.

Qual o seu principal(ais) objetivo(s) como cantora e compositora?

Ana Paula Valadão – Quero sempre compor minhas orações sinceras, rasgando meu coração diante de Deus e das pessoas, expressando por meio das letras e melodias, aquilo que busco e vivo. Amo a Palavra de Deus e a música é uma forma didática e poderosa de
compartilhar isso com o mundo. Como cantora tento colocar meu sentimento na voz, ao mesmo tempo em que a técnica vocal me ajuda a não prejudicar o canto com as lágrimas ou com a emoção que me envolve naquele momento. Mais do que uma performance, meu objetivo é inspirar outras pessoas a adorarem a Deus e abrirem o coração diante dele. O que mais gosto de ouvir sobre minhas composições é: “Ana, essa música diz tudo o que eu queria e não conseguia expressar. Essa música parece que é minha”.


PROJETOS INFANTIS


O recém-lançado CD Infantil “Davi” é o sétimo da série de CDs voltada para as crianças cujo DVD será lançado em breve. Você tem outros projetos voltados para as crianças?

Ana Paula Valadão – O CD Davi já está nas lojas desde outubro do ano passado, e o DVD será lançado durante o congresso. Aqui em casa nós já o temos e meus filhos amam. Estou sonhando com um novo projeto infantil parecido com o “Para Adorar ao Senhor”, com crianças cantando ao vivo, mas com algumas novidades que não posso divulgar.

Você pretende, em algum momento, fazer shows específicos para as crianças, já que sua concentração é mais no trabalho adulto?

Ana Paula Valadão – Eu gostaria de me dedicar mais ao projeto infantil, mas, no momento, é impossível.


CULTO MULHERES DIANTE DO TRONO


O que podemos esperar dos cultos Homens e Mulheres Diante do Trono este ano?

Ana Paula Valadão – Deus tem trazido algumas mulheres preciosas para compartilhar conosco. Soraya Moraes vem dia 27 de março, Fernanda Brum deve voltar em breve. Vamos continuar estudando a vida de mulheres na Bíblia. Já estudamos sobre a mulher samaritana, Noemi e Rute, Abigail, Vasti, Ester, a parábola das 10 virgens, a sulamita, Marta e Maria, e vamos continuar nessa linha este ano. Além disso, continuaremos com bate-papos com mulheres sábias sobre assuntos interessantes para as mulheres, trazendo dicas de moda, etiqueta, enfim, resgatando valores da feminilidade bíblica. Eu e Gustavo estamos muito felizes com o que Deus tem feito nos cultos Mulheres e Homens DT e temos algumas ideias, mas ainda não conseguimos nos dedicar a elas.


ESTILO MUSICAL


Os músicos de formação musical mais densa se queixam que o DT entrou numa linha musical mais simples no que tange às harmonias e ritmos, às vezes, repetindo demasiadamente um mesmo refrão. A que se deve isso? O que eles não estão entendendo na sua proposta musical?

Ana Paula Valadão – Muitas vezes o genial não é o mais complicado. Estamos buscando a beleza na simplicidade. Nossa música é para ser tocada nas igrejas; são louvores congregacionais com arranjos belos, muito expressivos, mas mais acessíveis. Não limitamos o uso das músicas apenas a músicos profissionais. Também estamos inseridos em um tempo, em uma época, e essa é a tendência atual. Portanto, a genialidade na simplicidade é o que nos atrai hoje.

Por que o DT investe tão pouco na música nacional e sempre tem trazido o estilo norte-americanizado para as canções?

Ana Paula Valadão – Não gosto de pensar assim. O som do pop rock é global, é nosso também. Temos a referência dos norte-americanos, dos ingleses, mas também dos australianos, sul-africanos e de grupos no Brasil com esse som. Estamos abertos e colocamos arranjos com ritmos variados, especialmente em nossos projetos infantis, mas nossa cara não é outra senão a do pop rock.

O que Ana Paula escuta de música?

Ana Paula Valadão – Ultimamente, o que mais escuto são CDs de um estilo chamado Soaking, em que os músicos e cantores passam horas adorando espontaneamente, com muito instrumental. Kimberly e Alberto Rivera são os meus preferidos. Esse estilo musical
não cansa. Podemos escutá-lo o dia inteiro, enquanto executamos outras tarefas, mas é excelente e apropriado para os momentos dedicados à oração.

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Comentários
3 Comentários

3 comentários

Clique aqui para comentários
Aline Alves
admin
16 de março de 2013 23:59 ×

A Ana eh D+, adorei a parte de querer fazer as unhas toda semana!!kkkkk

Responder
avatar
18 de março de 2013 16:18 ×

a ana é amada pelo Brasil e pelas nações grande mulher de Deus!

Responder
avatar
Anônimo
admin
18 de março de 2013 16:34 ×

kraca gostei dessa entrevista ... bem claro q ela ñ se preocupa muito com as criticas quando ao novo DT

Responder
avatar
Obrigado pelo seu comentário
var pres = document.getElementsByTagName("pre"); for (var i = 0; i < pres.length; i++) { pres[i].addEventListener("dblclick", function () { var selection = getSelection(); var range = document.createRange(); range.selectNodeContents(this); selection.removeAllRanges(); selection.addRange(range); }, false); }