Umbandistas batendo tambor em favor de Marco Feliciano


No último dia 2 de Novembro, durante pregação no que se diz ser o maior evento Gospel do Sul do Brasil, o CLAMA SUL, Pastor Marco Feliciano surpreendeu mais uma vez ao contar do apoio que está recebendo de 600 terreiros de macumba e de suas entidades para continuar sendo o representante da “família brasileira”.
Hein?
A surpresa não vem da parte da confusão teológica que ele incita nos ouvintes e nem no descarado sincretismo religioso. Mas no fato de clamar que o próprio Jesus lhe disse que: Quando a Igreja não pode, Deus levanta o demônio…
Milhares de justificativas e “análises” já começaram a aparecer para o que parece ser a confirmação de um tipo diferente de apostasia e fanatismo. A audiência não só confirmava, mas com “glórias e aleluias”, afirmava que Deus “trabalha” com Satanás, quando a Igreja deixa ou não pode trabalhar.
“Coitado de Deus”…
Como diz minha mãe, falsos ensinos estão ganhando força no meio da Igreja porque a Igreja assim deseja. A Igreja quando é atraída pela loucura da ganância é porque a ganância já está em seu coração.
Nas redes sociais, Caio Fábio escreveu um breve comentário que aqui cito:
‘Se Satanás oferecer “ajuda” pra “Jesus” … “Ele” está aceitando, pois, quando crente não ajuda, Deus “trabalha” com “Satanás”… já que sem “igreja”… Deus nada faz no mundo. É um “Deus” que não é NADA sem o homem, qualquer homem…Trágico! Tudo trágico! Não o “Macumbeiro”. Mas o “Pastor’.
Leia a seguir um resumo da pregação que está disponível nas redes sociais:
“Nunca houve tanta oração neste país nunca houve tantos crentes anônimos mandando mensagem de Jesus dizendo: Protege o Pastor Marcos porque ele me representa naquele lugar. O Brasil foi abalado pelas orações, Igreja.. . quem concorda com isso? Nos primeiros dias Edmar, no meio daquele tumulto você assistiu reuniões na nossa frente…Onde estava tudo nublado não tinha o apoio de ninguém… meu partido tava quase  roendo porque não aguentava mais a luta (…) entrou um homem na minha sala, um baita dum… tenho que tomar cuidado como falo…um baita dum afro descendente… desse tamanho o cidadão(…) O cabelo black power. Quando eu olhei pra ele empurrei minha cadeira e pensei: Tô frito! Não tão respeitando nem aqui mais. Quando ele viu que eu fiquei apavorado ele disse: Fica tranquilo que minha vinda é de paz (…). Ele era um babalorixá (…) Vim do Rio de Janeiro através da minha instituição. Nós temos 600 terreiros de macumba e a nossa instituição pagou minhas passagens… vim aqui dizer para o senhor que o senhor nos representa, porque o senhor representa a família brasileira. E pra te ajudar eu trouxe par ao Senhor a espada de São Jorge (…) Olhei pra aquele trem e pensei: Eu pego ou não pego? …  Na hora de ir embora ele voltou e disse: Pastor, a partir de hoje ninguém mais toca no Senhor… Eu falei, porque? Não devia ter perguntado. Ele voltou, olhou para mim e disse: A partir de hoje, toda a sexta feira, 600 terreiros vão estar batendo tambor para nossas entidades protegerem o senhor (…) Quando eu fui falar Jesus falou comigo: Quem não é contra nós é por nós… Quando ele virou as costas Jesus falou comigo: Quando a IGREJA NÃO SE LEVANTA E NÃO PODE, EU LEVANTO ATÉ DEMÔNIO…” 
Veja o vídeo: Marco Feliciano no Clama Sul em Maringá

fonte Gospel+
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Comentários
0 Comentários
Obrigado pelo seu comentário
var pres = document.getElementsByTagName("pre"); for (var i = 0; i < pres.length; i++) { pres[i].addEventListener("dblclick", function () { var selection = getSelection(); var range = document.createRange(); range.selectNodeContents(this); selection.removeAllRanges(); selection.addRange(range); }, false); }