Vídeo do Porta dos Fundos será investigado pelo MP após pedido de Marco Feliciano













No ano passado o grupo humorístico Porta dos Fundos postou em seu canal no youtube, diversos vídeos de piadas satirizando a fé cristã, o que causou muita revolta entre grande parte dos católicos e evangélicos do Brasil.

O Vídeo intítulado "Especial de Natal", veiculado no dia 23 de dezembro de 2013, foi o que culminou a situação, pois ele propiciou ainda mais a revolta da população cristã brasileira ao grupo de humor.

O vídeo que tem duração de aproximadamente 17 minutos, retrata abordagens sobre cinco passagens e personagens bem conhecidos da Bíblia, todas as abordagens criadas pelo grupo subentende-se também uma crítica relacionada a situação envolvida, como é o caso da primeira cena, onde o anúncio do anjo Gabriel a José de que Maria está esperando o filho de Deus, é posto em suspeição a virgindade da mãe de Jesus. Dentre outras insinuações desrespeitosas a fé cristã, o que entende-se como intolerância religiosa.

O deputado e pastor Marco Feliciano os denunciou à Polícia Federal, baseando-se no artigo 208 do Código Penal, os Católicos foram através da Internet foram as redes sociais, blogs e sites para  reivindicar seus direitos,   também foram feitas campanhas de boicote ao canal do grupo no Youtube.

Depois do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) ter feito a representação contra o vídeo do grupo, o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) vai encaminhar o caso para investigação na Polícia Civil. Essa informação foi confirmada nesta quarta-feira (29) ao G1 pela assessoria de imprensa do MP-SP.

A acusação é sobre o conteúdo e mensagem transmitida pelo vídeo "Especial de Natal", alegando ter este um teor que satiriza a bíblia sagrada. Na representação Feliciano escreveu que o conteúdo do vídeo é “altamente pejorativo, utilizando-se inclusive de palavras obscenas, e de forma infame atacou os dogmas cristãos e a fé de milhares de brasileiros que comungam deles, ferindo dialeticamente o direito fundamente à liberdade religiosa”.

A denúncia também reuniu outros vídeos do canal Porta dos Fundos que tratam de forma desrespeitosa a liberdade religiosa dos católicos e cristãos em geral.

O Grupo nega desrespeito. A assessoria de imprensa do Porta dos Fundos disse ao G1 que o grupo ainda não recebeu notificação sobre o caso. De acordo com a assessoria, João Vicente de Castro, membro do grupo, nega que o vídeo tenha a intenção de desrespeitar qualquer religião ou pessoa.

Fontes: G1 e Gospel Prime.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Comentários
0 Comentários
Obrigado pelo seu comentário
var pres = document.getElementsByTagName("pre"); for (var i = 0; i < pres.length; i++) { pres[i].addEventListener("dblclick", function () { var selection = getSelection(); var range = document.createRange(); range.selectNodeContents(this); selection.removeAllRanges(); selection.addRange(range); }, false); }