Review: CD Autoridade e Unção de Léa Mendonça

Por Herick Marques Diener
Léa Mendonça é, sem dúvidas, umas das maiores e, sim, melhores intérpretes e compositoras da nossa música gospel. É difícil definir um estilo específico para ela que em seus CDs traz músicas congregacionais, de adoração, e na categoria na qual ela mais se destaca por ser uma escolha certeira para um público fiel, o pentecostal.

Ela está presente nos repertórios das igrejas e conjuntos desde 2004, quando explodiu, de fato, com as músicas 'Memórias' e 'Chora Que a Vitória Vem', e mesmo quando eu achei que ela não conseguiria repetir toda essa repercussão, em 2011 ela lança o álbum 'Milagres da Adoração', trazendo como carro chefe nas rádios a canção 'Covardia' que virou um sucesso nas igrejas, rádios e, até mesmo, em visualizações no Youtube.

Este ano ela lança mais um trabalho, trazendo novidades quanto a produção, depois de excelentes obras com Rogério Vieira.

Como em todos seus trabalhos, 'Autoridade e Unção' vem com canções com letras maravilhosas e poéticas, nas quais muitas vezes a melodia não faz jus a uma letra tão boa e, às vezes, temos belos acertos, outras vezes erros pequenos por músicas que mereciam algo mais forte.
Bem mais pentecostal do que costumávamos ver em álbuns anteriores, a cantora traz 12 faixas produzidas pela dupla Silvinho Santos e Kleyton Martins, que fizeram sua parte de uma forma muito boa.
'Deus Não Faz Acepção', abre o álbum tanto fisicamente quanto como faixa de trabalho nas rádios. Escrita pelo grande Anderson Freire, mais uma vez ele prova que a sua fonte de composições não está secando. Fala sobre a história de Ismael, filho de Abraão assim como Isaque, porém não tão querido pelo pai como o seu irmão. Destacando quando ele é mandando para o deserto pelo seu pai, e lá vê uma fonte jorrar água, quando já achava que iria morrer, mostrando que mesmo que seu paí prefira seu irmão, Deus não faz acepção e tem lhe cuidado. Uma ótima faixa que pode repercutir nas igrejas.

A faixa seguinte, 'Guerra Fria', é típica dos trabalhos da cantora, e quem acompanha sabe do que estou falando. Trata sobre traição, falsidade e etc, onde a cantora declara que perdoou, e no final isso serviu para lhe fortalecer. Acho que o refrão poderia ser maior e mais bem explorado, mas é uma boa canção. (Tive que voltar e editar essa parte da resenha pra falar que essa música não saiu da minha cabeça rs).
Dessa vez o álbum não é temático, e traz sim uma faixa que leva o título do álbum. E a música 'Autoridade e Unção' tem uma letra bem forte, acompanhada de uma produção boa e um vocal afinado, mas você fica esperando 'aquele' refrão impactante que lhe faz arrepiar, e isso acaba não acontecendo. Eu lhe falei no início da resenha sobre letras boas e melodias que não fazem jus rs. Mas apesar dito, destacamos a autoridade com que Léa canta a música ao decorrer.
                         
'Ilha da Intimidade' é uma música emocionante e reflexiva composta por Anderson Freire, que participa da canção dando um forte destaque. A música não é nem de longe uma das melhores composições dele, mas vai ter gente que vai curtir bastante. Pela forma poética na escrita, eu tinha quase certeza que era uma composição da própria cantora, mas me enganei feio rs. A letra remete a João na Ilha de Patmos, quando recebeu as revelações para a igreja, demostrando assim grande intimidade com Deus.

'Mulher de Deus' é uma tentativa da cantora de ganhar os círculos de oração das igrejas pentecostais com pelo menos uma canção do CD, e olha que eu imagino o da minha cantando rs. A música cita a história de Ana que não podia ter filhos e Ester que queria defender seu povo, destacando a vitória de ambas. Um salve para o refrão que dessa vez vem forte como a música pedia. Regentes, correm!
Gente, a faixa seis é um destaque enorme no álbum! Sei que muita gente vai achar a faixa realmente entediante, mas muitas mães que viram seus filhos se afastarem da casa de Deus vão chorar ouvindo 'Não Foi Você Quem Errou'. É linda, e traz uma letra emocionante no estilo Léa Mendonça de compor. Vai trazer esperança e renovar a fé dos pais que esperam a volta dos seus filhos.

E ela realmente voltou a gravar músicas de fogo. Depois de 'Dia de Chuva' do disco anterior que veio cheio de cantores do retete da gravadora MK Music, o corinho da vez é 'Fogo do Céu', que é mais uma canção do estilo trazendo nada de novo. Saudades de músicas assim só que contendo histórias bíblicas, tipo 'Passeio na Tempestade' ou 'Quem é Esse Rei?'.

'Quarto da Espera' é um dos destaques do álbum e que merece bastante atenção. Fala sobre quando Ezequias sente uma profunda tristeza após saber que estava prestes a morrer, vira seu rosto para parede e chora muito, pedindo a Deus mais tempo de vida. O profeta Isaísas, que lhe avisará, ja estava próximo ao portão de saída, quando então retorna para a presença de Ezequias a mando do Senhor e lhe diz que Ele lhe acrescentava mais quinze anos de vida. A música traz a participação da Raquel, filha da cantora. Vale a pena ouvir essa aqui!
                    
Tem que ter fôlego pra cantar 'Vai dar certo', e confesso que gostei bastante desta música. Estilo Léa Mendonça de cantar sobre dar a volta sem pisar em cima de ninguém, mas sim tomando posse da coragem, força e fé que provém de Deus. " Saio lá de baixo, venho cá pra cima. Não existe outro meio de usar minha fé. Na unção de Deus eu corto laço, despedaço ferro, bronze e aço. Pode vir o que vier", muito boa! Mais uma para os regentes ficarem de olho.

'Deus Acreditou Em Mim' é o estilo de música que Damares espalhou em 2008, só que sem toda vingança que trazia as composições de Agailton Silva. Uma das canções mais pentecostais do disco, e que pode ter uma boa repercussão nas igrejas. Fala sobre quando ninguém mais acredita em você, porém Deus chega perto do seu fim e lhe salva, pois ainda tem planos para sua vida.

'Excelência de Adorador' é muito bonita, mas quando você escreve canções você fica imaginando como uma faixa séria melhor se você mudasse alguns detalhes, nesse caso no refrão dessa música. A letra é uma linda forma de adoração. Mais um destaque no disco, principalmente pela produção + vocal.
A última faixa do álbum é uma regravação que eu particularmente gosto muito. 'Eternamente Sua, é uma das melhores composições do Josué Teodoro, presente no terceiro ou quarto disco da cantora (não me recordo) de 1996, primeiro pela MK Music. A cantora já havia cantado a faixa no seu primeiro DVD lançado a pouco tempo, e eu gostei dela ter regravado no disco com uma versão nova. Muitas pessoas gostam dessa canção e vão aprovar a nossa versão!

Bom, eu nunca espero coisas ruins em nenhum álbum de Léa Mendonça, pois ela sabe compor absolutamente bem e mesmo quando não é composição sua, a gente sabe que ela escolheu a dedo. O CD vem com pouquíssimos erros, pelo contrário, mais acertos, uma vez que ela trouxe algo fresquinho para repercutir nas igrejas de todo o Brasil. A falta de algo novo passa despercebido perto de letras muito boas, principalmente nas faixas 'Deus Não Faz Acepção', 'Quarto da Espera', 'Vai dar Certo' e algumas outras. Vale a pena comprar esse álbum, você que curte congregacional/pentecostal.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Comentários
19 Comentários

19 comentários

Clique aqui para comentários
Anônimo
admin
28 de julho de 2015 09:12 ×

Gente,os CD's não são lançados só para os conjuntos cantarem,pára que tá feio,rs..Mas falando sobre o CD,é um dos melhores do ano.O single é a música que menos gosto,rs..Destaques:Guerra fria,Autoridade e unção e Fogo do céu.

Responder
avatar
Anônimo
admin
28 de julho de 2015 09:14 ×

Ah,claro,um dos destaques do CD também,e porque não dizer o maior,foi a regravação de Eternamente sua.Linda!!!

Responder
avatar
Geovani
admin
28 de julho de 2015 13:20 ×

Eu com certeza vou adquirir o CD pois Esta divino...Acredito que a Léa acertou em cheio no Repertório e as musicas que falam de superação realmente não é usando de vingança pessoal mas de superação interna mesmo....Amei a canção Deus não faz Acepção e Acredito que Guerra Fria vai longe muito longe......Enfim um CD TOP.

Responder
avatar
Deinha Souza
admin
28 de julho de 2015 15:20 × Este comentário foi removido pelo autor.
avatar
Deinha Souza
admin
28 de julho de 2015 15:39 ×

Está tudo lindo neste novo cd da Pra. Léa...
Amei!!!

Responder
avatar
Anônimo
admin
28 de julho de 2015 17:18 ×

adorei o cd, foi um dos melhore que ela ja lançou

Responder
avatar
Anônimo
admin
28 de julho de 2015 18:01 ×

Eu achei este CD muito fraco. Graças a Deus que temos Damares pra salvar a música pentecostal!

Responder
avatar
Anônimo
admin
28 de julho de 2015 20:29 ×

Damares salvar a musica pentecostal com aquelas músicas horríveis? kkkkkkk

Responder
avatar
Anônimo
admin
28 de julho de 2015 20:40 ×

Damares estragou a música, isso sim!!! Com akelas músicas de vinganca!

Responder
avatar
28 de julho de 2015 23:42 ×

Giovani: Guerra Fria é muito boa!

Responder
avatar
Anônimo
admin
29 de julho de 2015 09:14 ×

Quem fala que Damares é melhor que Lea não tem noção....Mesmo.

Responder
avatar
Anônimo
admin
29 de julho de 2015 11:56 ×

afff... tudo comparam damares

Responder
avatar
Anônimo
admin
29 de julho de 2015 16:53 ×

Pra quem não sabe Léa falou na rádio que a música "Guerra Fria" seria a música de trabalho, porém A Yvelise e a Andréa Meyer mudaram, fico me perguntando se realmente foi uma boa escolha isto que Deus não faz acepção é boa mas tem cara de música que foram feitas pra ser como segundo single, mas vamos ver....
Em relação ao CD amei mto, graças a Deus Léa parou de produzir um CD apenas com os arranjos do Rogério, já não aguentava mais ouvir os mesmos arranjos em todos os CDs, e sim, o trabalho ficou muito bom!!! Espero que ele tenha o destaque que merece.

Responder
avatar
29 de julho de 2015 18:08 ×

Anônimo: Teria sido uma boa escolha, Guerra Fria é uma boa música, mas Deus Não Faz Acepção também ta representando bem o CD . Deve ficar como segunda faixa de trabalho.

Responder
avatar
Anônimo
admin
29 de julho de 2015 20:31 ×

Vai flopar.

Responder
avatar
Anônimo
admin
30 de julho de 2015 07:55 ×

Quem escreveu a resenha tbm produziu o CD? No texto se refere a regravação de Eternamente sua como '...nossa versão!', coloquem alguém pra fazer uma resenha e que a revise; tem gente que vem para o blog por causa dessas resenhas.

Responder
avatar
Anônimo
admin
30 de julho de 2015 10:09 ×

Anônimo aí de cima, acho que ele quis dizer a nova versão!

Responder
avatar
30 de julho de 2015 10:50 ×

Era 'nova' versão mesmo haha Que pessoa doce e educada, não se pode mais errar? haha euheim....

Responder
avatar
LUKAS ROCHA
admin
14 de setembro de 2015 12:08 ×

cd está incrievel,,,ficou muito bom gravado em estudio,,já estava enjoativo ela cantar só ao vivo aff.... cd esta espetacular e concerteza alcançara platina

Responder
avatar
Obrigado pelo seu comentário
var pres = document.getElementsByTagName("pre"); for (var i = 0; i < pres.length; i++) { pres[i].addEventListener("dblclick", function () { var selection = getSelection(); var range = document.createRange(); range.selectNodeContents(this); selection.removeAllRanges(); selection.addRange(range); }, false); }