Review: CD "A Porta" - Felipe Farkas


Por Herick Marques Diener

Ser cantor e, ao mesmo tempo, um bom compositor, às vezes é crucial para se ter um bom álbum, pois isso, literalmente, está em suas mãos.
Felipe Farkas já chamou a atenção de todo mundo quando seu nome apareceu como compositor da canção 'Viverei Milagres', interpretada por um dos grandes nomes da música pentecostal, Vanilda Bordieri.
Eliane Silva também deu preferência a uma canção sua para que fosse a faixa de trabalho de seu mais recente disco, e a música 'Meu Milagre' ganhou até mesmo um clipe bem bacana.
Voando mais alto este ano, o cantor lança seu primeiro trabalho inédito, que me surpreendeu trazendo um ótimo pentecostal, num momento em que tantos nomes do gênero tem deixado a desejar.
Intitulado de 'A Porta', foi produzido pelo competente maestro Ronny Barboza que, como em todos os CDs que põe suas mãos, fez um trabalho excelente.
O projeto gráfico foi assinado pela agência ME Designer, trazendo o conceito visual que o título da obra pedia, resultando em ótimas fotos que nos enchem os olhos ao passar das lâminas do encarte.
São oitos faixas firmadas no pentecostal, mas no decorrer das canções tem lugar para um pouco de pop pentecostal e, até mesmo, adoração. Duas delas são regravações já conhecidas do público. São elas 'O Imutável' (Rayanne Vanessa / Eliane Silva) e 'Além do Rio' (Lilia Paz / Amanda Ferrari).


01. Marcha Exército (feat. Vanilda Bordieri) | De cara já sabemos pela introdução que não vamos ouvir um álbum com arranjos instrumentais e produção comuns. E talvez esse seja o maior acerto dessa faixa.
Trazendo um featuring com a cantora Vanilda Bordieri, essa canção traz o conceito já investido em outras músicas do gênero da igreja figurada como um exército (soldados) e Cristo como o nosso general (Capitão), com direto a um momento de 'perguntas e respostas' entre o cantor e o vocal.
O refrão é, sem dúvidas, um grande destaque da canção no todo, e vai agradar aos regentes de conjuntos das igrejas por aí.
"Marcha obreiro, marcha pastor, marcha varões e irmãs em nome do Senhor. Marcha crianças e jovens também, marcha igreja que a vitória vem".
A composição é assinado por Ervancio, que particularmente não conheço outras obras suas, mas fez um bom trabalho nesta aqui.
A participação de Vanilda deixou a música mais forte ainda, caindo como uma luva e sendo um grande destaque.

02. A Porta | A faixa que intitula a obra apresenta uma das melhores, se não a melhor, produção do álbum e até mesmo da carreira do produtor Ronny Barboza, contendo uma paradinha em sua introdução.
Sua letra, composta por Biah Novo (mais um nome inédito pra mim), apresenta o tema de perseverança e fé para que as coisas em nossa vida aconteçam, e a porta seja aberta por Deus.
Eu narrando sobre, pode causar a aparência de que a música é bem lenta e reflexiva, mas não é não! É pentecostal, é pop, é fortíssima, tem uma produção maravilhosa e vale a pena ouvir.
"Ele abre a porta pra você passar, também fecha a porta para te guardar, e se não tem parede faz surgir parede para abrir uma porta e te abençoar!".

03. Os Três e a Fornalha | Curti um corinho de fogo? Então vem cá que eu tenho um presente para você. Esta faixa inicialmente não dá sinais nenhum de que é uma faixa do gênero, mas quando chega no refrão tem sanfona para todo lado rs.
Se baseia na história bíblia dos três jovens Sadraque, Mesaque e Abdinego, que se opuseram a adorar a imagem feita por ordem do rei Nabucodonosor, lhes causando o castigo de serem lançados na fornalha. E o final todo mundo sabe, né? Não tem pra ninguém quando mexem com crente fiel.
"Fornalha não mata crente adorador, porque dentro da fornalha entra com você o Todo Poderoso, O Grande Eu Sou".
Vale lembrar que esta é a primeira composição assinada pelo próprio cantor no álbum.


04. O Imutável | A composição do Cláudio, integrante da dupla Canção e Louvor, ganhou mais uma interpretação.
Na versão de Farkas, o refrão da música foi desacelerado e o vocal ganhou mais participação do que em suas gravações anteriores, sendo o último detalhe citado, algo que manteve a faixa bem forte, como sua ótima letra pede.
"Aqui para dizer, que Sou grande, Sou eterno, Sou inabalável, e ninguém sabe quanto pesa a forma do meu braço. Eu entro dentro da fornalha e faço camarim, e se zombar da minha igreja está zombando de Mim".
Forte, né? Essa é, sem dúvidas, uma das canções do álbum que você não pode deixar de ouvir, de jeito nenhum.

05. O Arrebatamento | O nome dessa canção descreve muito bem o tema no qual ela se baseia, e por muito tempo esse tipo de música foi referência no gênero pentecostal. De 'Desapareceu um Povo', 'Ditosa Cidade' e 'Imagine' à 'Apocalipse', 'Quase Meia Noite' e 'Santificação', o tema sempre esteve presente e foi muito bem recebido pelo público, mas foi se perdendo e, até mesmo, sumindo de álbuns de cantores e cantoras pentecostais. Mesmo com alguns voltando a interpretar, qualquer música sobre arrebatamento é uma surpresa muito bem-vinda.
O vocal teve presença forte em todas as faixas do álbum, mas nesta aqui merece bastante destaque, pois deram um show realmente. Conta ainda com o featuring da cantora Flávia Rufino, que fez segunda voz de uma forma muito competente, sincronizada em todo o tempo com a voz do cantor.
"Arrebatou, Jesus já levou a igreja, para os crentes salvos é o fim da peleja. Tudo terminado, tudo acabado. Agora um novo hino, novas vestes, novo lar, um novo céu. Lá no além. Arrebatou, arrebatou, Jesus já voltou. Feliz é aquele que se preparou. Na eternidade não terá mais dor, agora pelos séculos dos séculos, amém”
Produção também sem comentários. Este CD está bom demais, gente!


06. O Dono do Meu Coração | Por ter sido composta pelo próprio cantor e sido cantada em primeira pessoa, deixou essa canção bem bacana.
É uma faixa que vai falar com muita gente e será uma das preferidas para quem gosta de cantar na igreja.
Começa falando sobre quando reconhecemos a Jesus como nosso Senhor, e Ele restaura nossa vida por completo, nos dando valor, e seu refrão aborda sobre darmos exclusivamente a Ele, pois toda glória, louvor e adoração não poderia ser dada a nenhuma outra pessoa, se não quem nos lavou e salvou 6do pecado.
A frase "exclusivamente teu" é repetida várias vezes para frisar a mensagem que a música quer nos passar. O CD tá acabando e não vem nenhuma música ruim. Que loucura rs.

07. Estou Profetizando | As compositoras dessa canção nós conhecemos muito bem, Gislaine e Mylena, que não brincam quando escrevem uma música.
Talvez seja a faixa de todo o trabalho que não apresenta uma produção super elaborada, apesar de ainda assim ser boa, e possuir uma letra não muito rebuscada como nas anteriores, sendo mais reflexiva, porém firme no pentecostal.

08. Além do Rio | O álbum acaba prematuramente na oitava faixa, sendo esta uma das canções que ganhou os congressos e confraternizações das igrejas por aí no ano passado e retrasado.
Composta por Moisés Cleyton, a faixa cai como uma luva para os conjuntos, e eu mesmo tive que cantar a música junto com corais duas vezes nas festas da sede e da sub-sede de minha igreja. Assim como já ouvi em várias outras congregações.
Na versão do cantor, a faixa que fala sobre nossa chegada no céu e as maravilhas que veremos, não perde em nenhum momento o clima, mesmo sendo uma música bem longa, com ocasiões crescentes e declamações, o cantor não deixou a peteca cair, fechou com chave de ouro mesmo.
"Quando eu chegar além do rio, meu Mestre então verei"
Se você ainda não ouviu esta música essa é uma ótima oportunidade de, enfim, ouvir!


Eu estava com saudades de ouvir um CD que nos surpreende e nos deixa ansiosos para ouvir a faixa seguinte. E álbuns pentecostais trazem muito isso; uma música com tema diferente aqui, outra com novo tema ali, produções diferenciadas em cada uma das canções, e assim vai a lista das exigências nas quais esse CD cumpriu muito bem.
A ausência de faixas escritas pelo próprio Felipe foram supridas a partir do momento em que esse novos compositores, muito bem-vindos, aliás, nos presentearam com ótimas letras somadas a uma excelente produção da parte do maestro Ronny Barboza, que eu não tenho medo de dizer: ele é o melhor do pentecostal!

'A Porta' vai dar muito o que falar ainda, e nos apresenta Felipe Farkas como um nome que nós vamos ter que ficar de olho na música gospel.


O CD está bom em exatamente todos os quesitos: repertório, produção, encarte, é tudo mesmo! E quando pode se considerar um único erro trazer apenas 8 faixas, vale lembrar que ele apresenta faixas bônus de Playback's de algumas das canções, então não tem do que reclamar! Tá mais do que recomendado.

Nenhum comentário