Review: CD "Cheiro de Milagre" - Antônia Gomes


Por Herick Marques Diener 

Esse ano grande parte das maiores cantoras pentecostais do país resolveram lançar novos álbuns, e uma boa quantidade delas aproveitou o conhecido congresso dos Gideões Missionários para lançarem seus respectivos trabalhos.

Antônia Gomes já é bem conhecida do público, e conquistou de forma constante os círculos de oração das igrejas do Brasil, virando lei ao menos uma de suas canções de cada disco ser incluída na pasta dos conjuntos.

Intitulado por 'Cheiro de Milagre', o novo material da cantora chegou nas lojas em poucas semanas, e se tornou um dos álbuns mais pedidos para que eu fizesse uma análise, então é sobre ele que vamos falar hoje.

O disco apresenta 14 faixas produzidas pelo maestro Melk Carvalhedo, que voltou a estar em evidência nos trabalhos das cantoras do gênero.

Trazendo fotos de Gustavo Mafra, o projeto gráfico ficou nas mãos da designer Dayane Lima que, mais uma vez, apostou na extrema simplicidade no encarte da obra, apesar das excelentes fotografias.

A distribuição do projeto saiu de forma independente, pondo fim na longa parceria da cantora com a gravadora Louvor Eterno.

A tiragem inicial foi AA7.000, e deve partir para uma segunda remessa em breve, visto que muitas pessoas têm adquirido e comentado sobre o CD.

É importante frisar que a cantora tem um estilo bastante diferente das demais cantoras pentecostais, fazendo com que o critério dessa análise seja proporcional ao declínio ou melhoria em comparação a seus álbuns anteriores em questão de qualidade.

Vamos falar sobre cada canção do álbum agora. Preparados?!


01. A Prova Eu Venci | (Júnior Maciel e Josias Teixeira)
Quem me acompanha por aqui sabe que não curto muito as composições dessa dupla, que uma vez ou outra acerta em uma de suas canções, mas essa aqui é uma das raras exceções que eu tive que abrir para eles.
A música fala sobre a virada que ocorre em nossas vidas através da nossa força e fé em Deus, em quem podemos confiar para vencer a luta.
"A prova eu venci, lutei e venci. O inimigo pelejou, contra mim ele lutou, mas com Deus eu consegui".
Não chega a ser uma canção totalmente sobre exaltação humana e de vingança, mas tem lá suas indiretas para quem duvidou que a situação mudaria.
O ponto negativo fica para o fato da faixa já ter sido gravada anteriormente por várias outras intérpretes, mas mesmo assim o fato não tira o brilho da canção nesse disco.

02. Tem Vitória Pra Mim | (Adriano Mendes)
Esse estilo de música é o que as irmãs das igrejas pentecostais gostam muito de cantar em dupla, sozinhas ou mesmo em seu departamento feminino, tendo aquele leve toque de música sertaneja.
Seu conteúdo lírico fala sobre a fidelidade de Deus para conosco e sua capacidade de nos entregar a vitória mesmo em meio as lutas.
"Tem vitória pra mim, tem vitória pra mim. Não importa a disputa, o tamanho da luta, o meu Deus tem vitória pra mim".
A repetição do título da canção no refrão faz com que a pessoa fique cantarolando os versos depois de ouvir a faixa logo na primeira vez.

03. Cheiro de Milagre | (Ricardo Mineiro)
Já tinha lido em um site que a composição dessa faixa seria do Cláudio Louvor, e quando ouvi sem conhecer o real autor estranhei imediatamente, pois eu sempre gosto muito de uma música do compositor no qual confundiram.
A faixa título do álbum fala sobre a certeza antecipada do milagre que Deus pode operar em nossa vida e, assim como a música anterior, seu refrão investe fortemente na repetição de frases.
A música foi escolhida para ser a faixa de trabalho do material, ficando responsável para divulgar o álbum nas rádios. E já ganhou um vídeo que você pode assistir clicando aqui.
"Tem milagre acontecendo lá na tua casa, tem milagre acontecendo na tua família, tem milagre acontecendo lá no teu trabalho. Hoje Deus muda o curso da tua vida", diz um dos melhores trechos da faixa que pedia versos mais fortes para combinar com o refrão e ponte.
Fiquei muito curioso para ouvir a canção quando li o nome do álbum e, respectivamente, da faixa, mas confesso que me decepcionei um pouquinho rs.


04. De Joelhos | (Sarah Farias)
A quarta faixa do disco é uma canção que tem sua letra baseada na certeza da resposta por parte de quem ora sempre aos pés do Senhor de joelhos.
A introdução de um dos trechos bíblicos de Salmos 20 se tornou um dos pontos mais interessantes ao longo da música, que traz um estilo mais de adoração comparado a suas canções anteriores.
"De joelhos eu vou avançar, de joelhos eu vou conquistar. E não há nada que possa deter, o Deus de Israel há de si levantar, quando eu orar".
Até aqui, foi uma das faixas do álbum na qual eu me senti mais atraído e quis ouvir mais vezes após a primeira vez e, pelo que já notei nos comentários nas redes sociais, não fui o único.

05. Sabe | (Wanderly Macedo)
Quando eu vi o nome do compositor no encarte estranhei, pois ele foi um dos grandes autores dos cantores e cantoras pentecostais, estando presente em vários discos de vinil lançados por eles nas décadas passadas, assinando as músicas que repercutiram bastante nas igrejas em seguida.
Ao longo dos anos ele foi sumindo dos álbuns de quem costumava tê-lo como compositor número um, mas deixou eternizadas várias canções.
Justificando o fato, essa música é um dos primeiros sucessos da dupla Rayssa e Ravel, que junto com Shirley Carvalhaes foram os últimos a inserir suas composições em seus trabalhos, sendo essa regravação como uma forma de homenagem ao autor ou a própria música.
Sua letra fala sobre o desejo de ver uma pessoa a quem nós amamos, na qual se afastou dos caminhos do Senhor, voltar novamente para a sua presença.
Para quem nunca esqueceu a faixa e continua cantando ela nas igrejas, está aí uma ótima versão da mesma atualizada.

06. Depois da Muralha | (Chagas Sobrinho)
Um sucesso das igrejas gravado anteriormente por Chagas Sobrinho e Noemi Nonato, que fala sobre Deus nos entregar a vitória depois que passarmos por nossas respectivas lutas.
Apesar de gostar dessa música, acredito que as outras duas versões da mesma já fizeram o papel de repercutir entre o público direitinho, excluindo a necessidade de uma regravação.

07. Banquete na Glória | (Wanderley Macedo)
As regravações presentes no disco ainda não acabaram, e nesse ponto chega a ser algo que incomoda um pouco.
Essa aqui é uma nova versão de um dos grandes sucessos da cantora Rose Nascimento, que ganhou as rádios e igrejas no início da década de noventa, do mesmo compositor citado mais acima, que também gravou a faixa em um de seus discos recebendo bastante destaque.
Ela já foi gravada anteriormente como 'Banquete na Glória' por alguns cantores e, também, 'Arrebatamento' por outros, e o seu excesso de gravações fez com que a mesma seja reconhecida por uma parte do público até nós dias de hoje.
Em sua versão, Antônia Gomes manteve o gênero pentecostal da música trazendo uma leve pitada do sertanejo, e por isso será possível ver algumas pessoas interpretando a nova atualização da faixa nas igrejas.
É uma boa canção sobre a partida da igreja para o céu, mas, poderia ter uma inédita para ser gravada né?


08. Entrega Pra Deus | (Adrianno Mendes)
Agora sim, temos aqui oficialmente uma música sertaneja com tudo que temos direito.
A canção, composta por um autor típico do estilo, fala sobre entregarmos nossos planos nas mãos de Deus, que sabe cuidar deles como ninguém.
"Entrega pra Deus literalmente a tua vida, e deixa Ele tomar conta. Entrega pra Deus, e não queria tomar de volta. Pra tudo e Ele tem resposta, entrega pra Deus".
Os admiradores fiéis da cantora vão simpatizar bastante com a faixa.

09. Vai Guerreiro | (Wanderly Macedo)
Surpreendendo a todos, temos aqui (pelo menos até onde eu pesquisei rs) uma música inédita por parte do compositor Wanderley Macedo, autor de duas regravações anteriores.
Ela é como uma injeção de força e fé para todos que estão no meio do caminho pensando em desistir.
Bom ver um dos escritores pioneiros da música pentecostal voltando a marcar presença ao menos em um álbum de cantoras do gênero.
"Vai guerreiro, vai, que Deus está contigo. Vai guerreiro, vai, destrua o inimigo. Vai Guerreiro, vai, que o gigante vai cair na força do teu Deus".
Uma das melhores faixas do disco, sem dúvidas, mas os arranjos pediam algo mais forte para ficar 100%.

10. Esse Vento Vai Passar | (Moisés Clayton)
Mais uma canção que aposta fortemente em repetições de frases em seu refrão, e isso está colaborando para um lado negativo do repertório da obra, visto que a presença do fato em uma ou duas músicas é aceitável, mas está se tornando algo clichê demais nas letras do disco.
A canção fala sobre a aproximação do fim da prova, sendo composta por um dos grandes autores da música pentecostal, mas que teve sua música prejudicada devido a sincronia das faixas do material.
E também não é uma música que apresenta tantas novidades, tanto em conteúdo lírico como em sua produção.

11. O Nazareno | (Adrianno Macedo)
Estava sentindo falta de uma canção sobre a crucificação de Jesus no álbum, mas aqui está a décima primeira faixa para suprir, e muito bem, esse desejo.
Ela traz o clima necessário de uma música country que deixa uma canção do tema melhor ainda, contendo em sua letra detalhes sobre o grande ato de amor feito por nós naquela cruz.
"Olha o carpinteiro, pregado no madeiro sofrendo tudo, um cordeiro mudo, um filho sem pai. Olha o Nazareno, pouco a pouco morrendo por meus pecados, foi crucificado, por amar demais".
Creio que bastante gente irá adquiri o playback do disco para se tornar real a vontade de interpretar a faixa em suas igrejas.
E aproveito para indicar a canção para as regentes dos círculos de oração que vão se apaixonar pela faixa.


12. Eu Vou Vencer | (Adrianno Mendes)
Falando para que a gente possa declarar nossa conquista antes mesmo de chegarmos no final da prova, citando personagens bíblicos como Davi e José, essa faixa (sim, mais uma vez) aposta na repetição de frases em todo o seu refrão.
Não é nem de perto uma das melhores músicas do álbum ou de qualquer outra da cantora, nem mesmo do compositor que escreveu a excelente anterior.

13. É No Pouquinho | (Dill (Os Nazireus))
E na penúltima faixa do álbum se encontra a música que eu acredito ser uma grande aposta de sucesso para as rádios e igrejas, sendo essa bastante comentada pelos admiradores da cantora que ouvem o material por completo.
Ela fala sobre a história bíblica de Elias e a viúva de sarepta, que só tinha em sua casa um pouco de azeite e farinha para alimentar o projeta, mas não lhe negou quando foi pedido, e a mesma viu tudo se multiplicar conforme Elias determinou. Trazendo para os dias de hoje que Deus ainda age em nossa vida, mesmo com o pouco que temos.
"É no pouquinho da farinha, é no pouquinho do azeite que Deus faz um milagre pra você irmão. É no pouquinho do pão, é no pouquinho de peixe que surge a provisão para multidão".
O compositor da faixa, Dill da dupla Os Nazireus, tem se destacado muito nos discos das cantoras pentecostais, sendo ele o autor de grandes sucessos como 'A Virada', de Amanda Ferrari, 'De repente', de Damares, 'Presença', se Eliane Fernandes e várias outras, sendo esse o motivo para a aposta de sucesso dessa música.

14. Guerreiras | (Vanilda Bordieri) 
A compositora Vanilda Bordieri já tinha falado pelos quatro cantos da terra que não iria escrever mais canções de forró, mas após isso lançou um disco inteiro com canções do estilo e pelo jeito voltou a entregar músicas do gênero para as cantoras. E a gente agradece, visto que ela é uma das melhores compositoras de corinhos de fogo que nós temos.
Essa aqui é uma canção feita para as mulheres, então serve como dica para a abertura de congresso e confraternizações do departamento feminino nas igrejas do país.
"Nossa arma de guerra é jejum e oração. Nossa espada afiada é a bíblia na mão".
Ela tem o estilo que uma boa parte dos admiradores da cantora sempre esperam em seus álbuns, então conseguiu fechar o material com chave de fogo rs.


'Cheiro de Milagre' é um disco que começou muito bem e tinha tudo para se tornar um dos melhores da discografia da cantora. Mas foi cruelmente prejudicado pelo excesso de faixas regravadas e canções com frases e, até mesmo, temas muito repetitivos.

Acredito que algumas pessoas vão se agradar sim desse trabalho, vendo as músicas regravados como uma versão melhor de suas canções preferidas para se cantar na igreja, além das inéditas como bônus, mesmo sendo clichês.

A obra traz quatorze faixas e praticamente metade delas são canções relevantes e boas.

A minha aposta vai para 'É No Pouquinho' como um grande sucesso para as rádios e as igrejas.

Antônia trouxe seu estilo inconfundível em seu novo álbum, mas o que precisava mesmo trazer era um excelente repertório.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Comentários
4 Comentários

4 comentários

Clique aqui para comentários
20 de maio de 2016 17:16 ×

"Arrebatamento" é a faixa 7 por esse título errado, mas o título certo é: "Banquete na Glória". E "Entrega Na Mão de Deus" é a faixa 8 também esse título errado, mas é o título certo é: "Entrega pra Deus"

Responder
avatar
20 de maio de 2016 23:34 ×

Eu escrevi olhando o encarte do CD, deve estar errado também, vou da uma olhada rs, de qualquer forma, obrigado :-d

Responder
avatar
21 de maio de 2016 11:28 ×

Eu já sei que o hino "Arrebatamento" de Rayssa e Ravel e "Banquete na Glória" de Rose Nascimento.

Responder
avatar
29 de maio de 2016 12:06 ×

amei a analise.. claro tem pontos aí q ñ concordo, pq o cd ta perfeito .. bem feito amei !

Responder
avatar
Obrigado pelo seu comentário
var pres = document.getElementsByTagName("pre"); for (var i = 0; i < pres.length; i++) { pres[i].addEventListener("dblclick", function () { var selection = getSelection(); var range = document.createRange(); range.selectNodeContents(this); selection.removeAllRanges(); selection.addRange(range); }, false); }