Análise: CD "Brilha Deus" - Suellen Lima


Suellen Lima faz parte de um seleto grupo de cantores que lideraram as vendas e obtiveram grande destaque em determinadas regiões do país, sem ao menos todo o território nacional ter ouvido falar seu nome. Por esse seleto grupo já passaram Damares, Eliã Oliveira, Samuel Mariano, Eliane Fernandes, Mara Lima e vários outros que experimentaram um sucesso limitado e só mais tarde, ou não, viram seu ministério soprar por todo o Brasil.

Ainda com uma carreira para despontar em cidades importantes como Rio de Janeiro, São Paulo e etc, a cantora já soma quase dois milhões de cópias comercializadas e músicas memoráveis que figuraram no topo das rádios como "Só Mais Uma Lágrima", "As Portas Vão Se Abrir", "Você é Campeão" e "Inesquecível". 

E mesmo não tendo mais nada para provar quando se fala da qualidade em relação aos seus álbuns lançados, ainda há bastante gente que não teve a oportunidade e, também, o privilégio de conhecer sua voz.

Vindo com a possibilidade de dar novos ares a sua carreira, este ano a cantora lança ao mercado o disco "Brilha Deus", quebrando um hiato de quatro anos sem um material inédito e que, absorveu oito meses desse período apenas para o processo de produção da obra.

Em uma parceria que dura quase uma década da sua carreira, a cantora selecionou o maestro Adilson K. Rodrigues para assinar a forte produção musical do trabalho que, com toda sinceridade, dispensa comentários e pode ser eleito como um dos álbuns mais bem arranjados dos últimos anos na música pentecostal. 

Trazendo instrumentos de sopro e cordas de tirar o fôlego, tudo ficou perfeito e casou muito bem com as onze faixas presentes no material (quase doze, já que a sétima faixa originalmente contaria com uma introdução, incluída na própria no conteúdo final).

Para coroar, os violinos foram gravados na Europa, com participação da Orquestra Sinfônica de Bratislava Eslováquia, por uma equipe de mais de sessenta e nove pessoas e a masterização e mixagem do projeto realizadas no Estados Unidos por grandes profissionais do ramo. Ou seja, o material não está qualquer coisa não (risos). 

O projeto gráfico da obra é outro fator que merece bastante destaque, sendo desenvolvido pela premiada agência Observ Design, responsabilizada por Leandro Prado e que, apresentou um encarte muito interessante, que há muito tempo não víamos no gênero. As fotos em externa foram feitas em uma famosa praça no centro de Curitiba, no Paraná. 

A produção executiva do disco ficou nas mãos da gravadora Melody Gospel, que pertence a própria cantora e será distribuído para todo o território brasileiro pela Sony Music, que o que tem de boa em distribuição, tem de ruim em divulgação.

O lançamento do álbum, infelizmente, foi precedido por um videoclipe postado no Youtube e mais tarde retirado, uma capa que vazou antes da hora em má qualidade, um preview não oficial que saiu sem ninguém da equipe da cantora notar e o sucesso da canção de trabalho nas rádios mesmo com erros sonoros, já que o áudio foi extraído do ourindo clipe. Tomando as rédeas da divulgação mais tarde, em menos de duas semanas tudo foi liberado nas redes sociais e o álbum solto nas plataformas.

Mas, vamos falar agora sobre cada música que se encontra no disco. Preparados?!


01. Brilha Deus | (Composição: Gislaine e Mylena) 
Anteriormente rejeitada no repertório de outros cantores, a cantora mostrou que tem um bom apuro na hora de escolher seu repertório e, não somente selecionou a faixa, como nomeou a mesma como título do material. 

Inicialmente trazendo como referência a passagem dos três jovens na fornalha ardente para dizer que há necessidade de passar pelo fogo para sermos mais transparentes ao ponto de refletir a glória de Deus em nós, o refrão frisa sobre a unanimidade em darmos honras a Ele. 

"Deus tem que refletir, Deus tem que aparecer. O ouro só serve se o ourives consegui se ver. É assim na sua vida. Deus tem que brilhar, então brilha, brilha Deus", diz o ponto principal da canção que conta com uma incrível orquestra de acompanhante. 

Separada como faixa de trabalho do álbum, a música ganhou um videoclipe que você pode assistir clicando aqui

Abrimos o disco de cara com uma boa aposta para os conjuntos das igrejas e, acredite, não é única.


02. Não Negaremos | (Composição: Eduardo Schenatto) 
Mesmo que as músicas do álbum não fossem lá essas coisas quando se trata de novidade em suas letras, a produção da mesma serviria para salvar - e muito - a canção em um todo. 

Não sendo o caso desta, seu conteúdo lírico traz a forte mensagem de mantermos nossa fé em Deus perante as ideologias banais que se encontram na sociedade atual, trazendo como referência histórias bíblicas nas quais personagens passaram pela mesma situação.

"Não negaremos, não negaremos não, não negaremos, não negaremos nossa fé. A igreja sempre se manterá de pé" 

A música é bem curta por ter um refrão repetitivo, mas isso não a prejudica de forma alguma, pelo contrário, a torna fácil para ser explorada por corais de igrejas ou departamentos diversos.

A faixa também foi gravada pela cantora Lucely Uchoa em seu mais recente álbum lançado este ano, mas já sabemos quem levou a melhor quanto a qualidade em ambas as versões.


03. A Pedrinha | (Composição: Tony Ricardo)
Ela sabe fazer como ninguém músicas que falam conosco no fundo do coração, sucedendo muito bem as ótimas faixas "Esperarei", "O Perdoado" e "Jesus, Simplesmente Tudo", presentes em seus trabalhos anteriores, temos essa daqui que promete falar com muitas pessoas e agradar em cheio o público mais antigo que ainda acompanha o ministério da cantora.

Tendo como base a história de Davi e as pequenas pedras usadas para derrubar seu gigante adversário, a música pega o pequeno artefato usado pelo personagem para nos assemelhar a um instrumento nas mãos de Deus para arquitetar nosso próprio milagre.

É muito interessante ver que a cantora não muda seu estilo musical, mesmo com tantos novos aspectos sendo inseridos no cenário da música gospel atual, e um fato que comprova isso é a semelhança da faixa com as canções do primeiro álbum da cantora lançado lá no início da década passada.

"E Davi, metendo a mão no alforje, tirou dali uma pedra e com a funda lhe atirou, ferindo o filisteu na testa. A pedra lhe cravou na testa, e ele caiu com o rosto em terra." 1 Samuel 17. 49


04. Quero Ser Santo | (Composição: Tony Ricardo) 
Há muito tempo eu não ouvia uma música tão bem estruturada em questão de produção e conteúdo lírico na esfera pentecostal. Que faixa totalmente incrível em exatamente tudo!

A presença marcante do pop pentecostal passa quase sem incomodar até mesmo a quem não admirada o estilo incorporado em canções, tendo sua atenção desviada para a bela orquestra, o enorme coral e a interpretação impecável da cantora. 

A música fala principalmente sobre a guerra espiritual que todo cristão passa diariamente para se manter santo assim como Deus quer, sendo necessário para que um dia possamos vê-lo face a face. 

"De posse da armadura estou revestido, não olho para trás, o meu alvo é Cristo. Avante eu vou, louvando eu vou, na rocha inabalável firmado estou". 

Demorou para o compositor de Cassiane, Damares, Eyshila, Jozyanne e outras cantoras me agradar em cheio em uma canção, mas essa aqui fez com que eu tenha que lhe dar os parabéns pela excelente composição. E que não perca esse pique, hein. 

Uma aposta mais do que certeira para ter seu lugar ao sol nas desejadas pastas dos conjuntos espalhados pelas igrejas de todo o país. Regentes, já sabem o que fazer, né? 

"Eu quero ser santo como Tu, ser santo como És. Lava as minhas vestes, oh Senhor". 


05. A Informação | (Composição: Marcos e Matheus) 
Na quinta música presente no álbum ouvimos um diálogo entre dois homens narrando a bela história do cego Bartimeu, onde um volta para trazer uma esmola ao podre cego, mas alguém que o via mendigando há anos lhe informa que ele não está mais lá, pois Jesus passou e lhe entregou a tão desejada cura.

Essa é mais uma que vai especialmente para os admiradores antigos da cantora, se igualando inclusive a várias músicas da tia da cantora, a pioneira no gênero pentecostal Mara Lima, na qual Suellen cita como uma grande inspiração e incentivadora do início de seu ministério.

Quanto à canção, até o momento, é a música menos estonteante do álbum se comparado às suas antecessoras, apesar de merecer seu destaque pela letra bem escrita e pela cantora manter seu estilo, pois cada um deve agradar e manter os seus, ainda mais com um público tão fiel como o da cantora. 

A produção da faixa me lembrou bastante a do álbum "Milagre", da própria cantora, lançado quase no final da década anterior, sendo marcada pela forte presença das cordas. 

"Parou, pois, Jesus, e mandou que lhe trouxessem. Tendo ele chegado, perguntou-lhe: Que queres que te faça? Respondeu ele: Senhor, que eu veja Disse-lhe Jesus: Vê; a tua fé te salvou." Lucas 18.40-41


06. Vai Ser Em Abundância | (Composição: Canção e Louvor (Cláudio Acalias / Cláudia)) 
A recente polêmica envolvendo um dos compositores dessa faixa não tira o fato de que ambos são ótimos escritores, justificando sua respectiva presença nos álbuns das maiores cantoras pentecostais ultimamente é, claro, também está marcando presença nesse disco com uma bela canção. 

Sua letra é baseada na passagem bíblia na qual alguns discípulos se encontram com dificuldade de pescar seus peixes, mas com a chegada de Jesus, Ele ordena que os pescadores lancem a rede do outro lado para que pegassem peixes em abundância, o que realmente acontece, mesmo sendo no exato lugar de improdutividade de poucos minutos atrás. 

Assim como grande parte das músicas escritas pela dupla trazem uma história do livro sagrado para usarmos no nosso contexto atual, a canção nos fala para confiar em Deus para fazer uma virada em nossa vida, sem sair do lugar.

"Vai ter milagre no mar da tua vida, vai ter milagre no mar da tua história. Vai ter milagre no mar do teu trabalho, vai ter milagre no mar da tua prova. Aonde você passou decepção, aonde você tentou sem solução, vai ser o lugar que Deus escolheu pra te dar vitória".

É umas das melhores faixas do material e tem falado com muitas pessoas desde que trechos foram liberados pela própria cantora durante o período de produção do disco. 

A ponte após a segunda vez em que o refrão é entoado, sem dúvidas, é um dos melhores momentos presentes da música e que fez uma grande diferença para a mesma. Vale a pena ouvir!


07. Gritai | (Moisés Cleyton)
Não, não. Você não está no cinema assistindo a uma super produção em cartaz que conta com uma trilha sonora de dar arrepios, é só uma incrível introdução para uma das músicas mais bem elaboradas já feitas quando se fala do quase manjado tema de Josué e as muralhas de Jericó, derrubadas ao som de gritos e trombetas.

Por ser a última do estilo que ouviremos, a música põe fim às canções com produção bem elaborada e letras fortes para dar início a uma sequência de músicas mais reflexivas. Sendo esta, também, uma música que merece ter seu destaque nos corais e departamentos de música das igrejas de todo o país, além de ser uma dica interessante para jograis e afins. 

"Gritai, que as muralhas ruíram. Gritai, os inimigos vão ao chão. Gritai, conquistador de Jericó. Quando a igreja clama unida, a muralha vira pó". 

O texto narrado, a performance do narrador, arranjos, interpretação da cantora, presença marcante do vocal... Não teve nada nessa faixa que deixasse a desejar em aspecto nenhum.

Que bom ver as cantoras do gênero levando a sério o estilo ao fazer um disco pentecostal decente. 

Se o disco já acabasse nessa faixa, ele já seria grande o suficiente para ser considerado um dos melhores do ano, e a muito tempo não víamos um álbum que valesse a pena comprar por conter tantas músicas boas como o mesmo.

A música também foi gravada anteriormente pela Família Moisés, mas não corresponde às expectativas quando se trata da qualidade semelhante a esta mais recente versão.

"E quando os sacerdotes pela sétima vez tocavam as trombetas, disse Josué ao povo: Gritai, porque o Senhor vos entregou a cidade." Josué 6.16


08. Ainda Estou A Ti Esperar | (Composição: Moisés Cleyton)
A oitava música do material nada mais é do que uma bela canção para dedicar às pessoas que se afastaram da presença de Deus por qualquer motivo que seja, pois sua letra é baseada na conhecida passagem bíblica do filho pródigo, que volta para casa sendo recebido de braços abertos por seu pai. 

É uma das canções mais belas do material e traz um estilo diferente das elogiadas anteriormente, mas que se faz necessária em um álbum que também tem como objetivo resgatar ou ganhar almas para o Reino de Deus. 

Para somar com uma letra sincera e direta, a produção dessa faixa, assim como, a participação do vocal, são bem leves para dar ênfase ao seu belo conteúdo lírico.

Boa dica de música para se cantar no final de cultos na importante hora do apelo ou mandar para aquele seu amigo que precisa voltar para os caminhos do Senhor.


09. As Lágrimas Falam | (Composição: Nilton Cézar)
Essa canção traz uma fórmula que remete bastante a um dos maiores sucessos da cantora presente em seu primeiríssimo álbum, "Só Mais Uma Lágrima", sucesso de visualizações na internet e lembrada nas rádios de muitos lugares até os dias atuais. 

Sua letra fala sobre a importância de uma lágrima derramada em momentos difíceis para Deus, que tem a solução para todos os problemas que nem mesmo podemos falar. 

É um dos estilos que fez com que a cantora chegasse onde chegou no meio do cenário evangélico, justificando o excesso de músicas do gênero em seus discos, mas vamos tomar cuidado aí para não deixar o trabalho enjoativo, hein, Suellen (risos).



10. Perfume da Adoração | (Composição: Renan / Diego)
Chegando na reta final do material temos mais uma canção com um teor de quebrantamento e adoração em sua letra, mas sendo inferior quando posta lado a lado as suas semelhantes presentes no disco.

Sua letra é baseada na passagem da mulher que derramou um perfume caro aos pés de Jesus, enxugando com seus cabelos, sendo um ato simbólico importante de rendição e dependência. 

Não achei que teria canções desinteressantes no álbum, mas perante a tantas músicas extraordinárias presentes anteriormente no material, essa aqui passa bastante despercebida.


11. Meu Justificador | (Composição: Moisés Cleyton) 
Fechando quase que com chave de ouro, temos mais uma composição do autor que mais marcou presença no material ao longo das faixas, e que mais uma vez fez um bom trabalho aqui. 

Com uma letra que fala sobre Deus nos justificar nos momentos mais difíceis que passamos em nossa vida, a canção traz um belo conteúdo lírico e, como em todo o restante do projeto, uma produção bastante coerente para o conteúdo. 

Se não estou enganado, uma outra intérprete gravou recentemente está canção sem muita aclamação. 

Também não é um dos matérias mais fortes presente o álbum, mas deve receber seu devido mérito.

"Pois Cristo é o fim da lei para justificar a todo aquele que crer." Romanos 10.4


Não víamos um ano tão forte na música pentecostal assim há bastante tempo, com um trabalho melhor que o outro sendo lançado com o passar dos meses. 

E posso dizer, sem dúvidas, que Shirley Carvalhaes e Elaine de Jesus apenas abriram caminho para o melhor disco lançado no ano até o momento, no qual você leu cada detalhe sobre ele nesta análise. 

Suellen Lima tem sido uma referência forte quando se trata de álbuns feitos com qualidade em todos os quesitos, "Impacto" lançado há quatro anos não me deixa mentir de forma alguma. 

Outra fator importante é que mesmo preocupada em trazer inovação em seus materiais, a cantora sempre deixa um cantinho do seu CD para atingir seu predominante público. 

Superando as expectativas e figurando na lista dos melhores álbuns do ano, vamos ver o que sobrou para esperar do novo álbum da cantora Damares, que também é bastante esperado.

Nenhum comentário