Header Ads

Cassiane, Lauriete e Elaine de Jesus preparam novos álbuns


Quem viveu o final dos anos 90 e, principalmente, o começo dos anos 2000 sabe a importância das cantoras Cassiane, Lauriete e Elaine de Jesus para a música pentecostal.

Primeiramente com os álbuns "Com muito louvor", "Palavras" e "Muito especial", e mais tarde com "Recompensa", "O segredo é louvar" e "Até o fim", não tem como falar do período de ascensão de uma sem falar da outra. Ambas viveram ao mesmo tempo momentos de ouro em seus ministérios. E é possível esperar mais uma vez que as três lancem discos uma perto da outra novamente.

Já não estamos na fase de ouro onde as músicas com refrões rápidos e uma produção de tirar o fôlego ganhavam as igrejas do país, mas mesmo adaptadas ao novo pentecostal - que entrega cada vez mais espaço ao pop - as três continuam sendo um nome importante para o estilo.

Depois do disco "Eternamente", Cassiane começou a escolher o repertório para seu novo material que deve ser lançado pela gravadora MK Music apenas no ano que vem, já que as produções de seus discos são sempre detalhadas e demoradas.

O material terá canções compostas por grandes nomes como Rogério Junior e Moises Cleyton, autores que já escreveram sucessos pra a cantora como "Abraço do noivo", "Tremendo e santo" e "Santo é o Senhor".

A produção será assinada - sem novidades - por seu marido, Jairinho Manhães.

Já Lauriete declarou recentemente em entrevista que pretende lançar seu novo álbum inédito até o final desse ano, pois seu último intitulado "No olho do furacão" foi lançado há cerca de dois anos, tempo longo para uma cantora conhecida anteriormente por entregar ao público um material inédito por ano.

A intérprete de eternos sucessos nas igrejas como "Deus dos deuses" e "Sete trombetas" já começou a ouvir músicas pra o repertório do novo álbum, que deve continuar tendo a produção de Samuel Ribeiro, como seus dois últimos.

Elaine de Jesus anunciou a novidade sobre seu próximo disco inédito através de uma live em sua página oficial onde pedia compositores pra enviarem canções, mas com um detalhe, em um estilo voltado para a adoração.

Não é a primeira vez que a cantora destoa do estilo que lhe consagrou na música gospel. Os discos "Sala do trono" e "Transparência" que dividiram opiniões já mostraram uma vertente diferente do ótimo pentecostal que a cantora investiu nos multiplatinados discos "Até o fim" e "Pérola" que foram sucessos nas igrejas do país e marcam uma fase no ministério da cantora que deixa saudade.

Esse será o segundo álbum da intérprete oriundo de seu contrato com a gravadora MK Music.

Entre as falhas e acertos nas poucas informações sobre os três materiais, a expectativa do público segue grande para os novos discos dos três potentes nomes para a música pentecostal. Resta aguardar!

Se esse tempo voltasse, heim?!

Nenhum comentário