Há exatamente 20 anos o Diante do Trono lançava seu primeiro disco


Nesse mês de Janeiro de 2018 um dos maiores ministérios de louvor não só do Brasil mas, também, da música gospel mundial comemora 20 anos em que foi oficialmente lançado na indústria com seu álbum debut.

Com a intenção de arrecadar dinheiro para combater a prostituição infantil presenciada na Índia pelo pastor Márcio Valadão e o maestro Sérgio Gomes, um CD foi planejado para ser feito pelo ministério ainda sem nome da Igreja Batista da Lagoinha em Belo Horizonte, Minas Gerais, sendo liderado por Ana Paula Valadão.

A gravação do material na própria igreja reuniu mais de sete mil pessoas que ouviram durante duas horas cinco versões de canções internacionais somadas às seis músicas de autoria da líder do ministério.

Ainda sem um nome definitivo para o grupo, mas com o CD pronto para ir para as lojas, foi decidido que o nome do álbum seria “Diante do Trono”, título da décima faixa do disco, e na lateral do acrílico ficaria estampado “Igreja Batista da Lagoinha”. 


Surpreendendo a todos pela qualidade da produção musical da obra e as letras das canções, em alguns meses as músicas do álbum começaram a ganhar as rádios e igrejas de todo o país se tornando faixas obrigatórias em ministérios de louvor e grupos de diversas denominações, fazendo com que o ministério entrasse para o seleto grupo de artistas evangélicos que experimentaram uma grande repercussão logo em seu primeiro trabalho musical.

“Aclame ao Senhor”, “Manancial” e a faixa conhecida tanto quanto qualquer um dos mais cantados hinos da harpa cristã, “Te agradeço”, foram canções que contribuíram indiscutivelmente para que o CD fosse um dos mais cantados da música gospel.

Ultrapassando mais de 500 mil cópias comercializadas, a real intenção em arrecadar dinheiro com as vendas do material foi cumprida e criou-se o Projeto Índia, que mais tarde ainda ajudou a levar três meninas indianas recuperadas a participaram de uma das gravações do próprio ministério. 


Se popularizando como “Diante do Trono” por causa da faixa de mesmo nome e por ser o título estampado na capa do disco, esse acabou se oficializando como o nome do ministério, que conquistou um espaço de suma importante na música gospel ao longo dos anos.

A partir do segundo CD, o Diante do Trono começou a fazer apresentações por todo o Brasil e a popularidade da banda começou a crescer absurdamente entre os evangélicos, se consolidando com suas viagens a vários estados brasileiros.

Os feitos do primeiro álbum foram duplicados e, em alguns casos, quadruplicados em discos seguintes como “Águas purificadoras”, “Preciso de Ti” e “Nos braços do Pai”, chegando a receber um público de 2 milhões de pessoas em gravações ao vivo, vender milhões de cópias de um único CD e ter suas músicas cantadas por pessoas de todo o mundo.


O ministério ainda foi um celeiro para futuros grandes nomes da música evangélica que solaram por longos ou curto períodos no grupo, como André Valadão, Nívea Soares, Mariana Valadão, Ana Nóbrega, dentre outros.

Se equilibrando na era digital atual com lançamentos não mais anuais como antigamente, o Diante do Trono detém uma história inapagável na música cristã, onde quem vivenciou não esquece.


1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário:

  1. Muito válido lembrar desses 20 anos do Diante do Trono.
    Porém, deem uma reavaliada na matéria. Está um pouco "distorcida".
    O grupo foi pensando em setembro de 2017 e a gravação foi em 31 de janeiro. Sendo seu lançamento meses depois.
    Pelo título, da a entender que o lançamento do DT 1 (e consequentemente o DT) foi em 24 de janeiro.

    ResponderExcluir